A casa é sua

A casa é sua

Foto: Renata Salles.

Matéria publicada originalmente na revista Viver Curitiba edição de Maio de 2021.

O tempo em que vivemos trouxe consigo a percepção de que a casa vai além das nossas necessidades cotidianas. Ela não é apenas o lugar onde fazemos as refeições ou descansamos. É também muito mais do que aparência, estética ou status. Casa é sinônimo de acolhimento, construção de histórias e laços importantes. Ela é a nossa embaixada e, olhando por esse ponto de vista, podemos concluir que casa é tudo, concorda?

A designer de interiores Luciana Gibaile, nova colunista da VIVER, destaca que Design de Interiores é muito mais do que o traço ou a escolha de qualquer elemento decorativo. Tem a ver com a escala do espaço verso a dos objetos e das pessoas que irão ocupar este espaço, a tal ponto que interfere no fluxo, na circulação e no significação de cada um dos espaços. “Costumo dizer que qualquer interferência no ambiente precisa ser feita com muita consciência e discernimento porque gera impacto e tem o poder transformador na vida das pessoas, facilitando ou dificultando o dia-a-dia”, destaca.

Para ela, um bom projeto é aquele que permita que aquela pessoa ou família tenha total identificação com o espaço a ponto de se sentir verdadeiramente à vontade na utilização de todo o ambiente e, desta forma, não se sinta numa “vitrine” perfeitamente atual frente às tendências mas sem conexão com ela. “Em tudo o que faço procuro incentivar meus clientes a usarem toda a casa, sabendo que aquele espaço é uma extensão deles e de tudo o que acreditam”.

QUAL SUA RELAÇÃO COM CURITIBA?
Sou de Viçosa, em Minas Gerais, e quando me casei fui morar em Videira. Lá, no Oeste Catarinense, nossa referência sempre foi Curitiba. Como eu já trabalhava com Design de Interiores, sempre que precisava de novidades vinha a Curitiba.

A mudança para cá fez com que a qualidade do meu trabalho aumentasse, já que a cidade é um prato cheio de referências. Adoro buscar minhas inspirações principalmente na rua, nas artes, no dia-a-dia e na observação dos hábitos das pessoas.

Foto: Rodrigo Ramirez

COMO VOCÊ VÊ AS TENDÊNCIAS?
Acho que elas devem servir apenas como referência. Caso contrário, corro o risco de projetar ambientes “showroom”, que não correspondem à vivência das pessoas que o ocupam apesar de estarem esteticamente corretas e atualizadas. Meu trabalho é sobre acabar com as “dores” de cada cliente de tal modo que sua vida fique mais fácil, feliz, plena, confortável e que seus sonhos sejam realizados acima de suas expectativas.

Foto: Rodrigo Ramirez

EXISTE CASA PERFEITA?
A forma como cada um de nós percebe os espaços de trabalho ou vivência é completamente diferente. Nossos sentidos físicos, como o tato, as percepções visual, sonora e olfativa, interferem muito no aconchego e no bem-estar. Acredito que a casa mais gostosa é aquela em que você tem a sensação de que é usada por toda a família, sem restrição, sem medo de que algo estrague, risque ou manche.

Ela é uma extensão de quem ali vive, da própria pessoa e do seu relacionamento com o espaço físico que deve ser tão natural como quando usamos uma roupa que nos veste bem e nos faz
sentir confortável e bonita.

Foto: Rodrigo Ramirez

QUAL A SUA MAIOR SATISFAÇÃO?

É entender que, seja em um projeto residencial ou comercial, a cada conceito estabelecido e a cada obra executada, posso contar e deixar registrado uma história verdadeira. A história do cliente, da função do espaço físico, da sua origem e do seu destino futuro. É incrível poder conhecer novas pessoas e fazer parte da vida delas.

Foto: DEA Fylyk

COMO ACERTAR NO PROJETO?
Primeiramente preciso ter uma empatia extrema com o cliente e entender de fato como ele realmente é, sem rótulos ou ideias pré-concebidas. Depois, procuro incorporar as memórias afetivas e as percepções extra sensoriais tão bem explicadas pela neurociência e que não podem, de forma alguma, ser relegadas a segundo plano. É também muito importante entender que a forma como cada um de nós percebe o ambiente em que vive ou trabalha é completamente diferente. A partir deste entendimento, aplicar toda a criatividade e conhecimentos técnicos para atingir o objetivo desejado, respeitando a capacidade de investimento do cliente.

Espaço para a Casa Cor 2019 projeto pela Designer de Interiores Luciana Gibaile trazendo peças de arte da galeria Zilda Fraletti.